Adoção na Passerelle?

Adoção na Passerelle em Centro Comercial de Luxo?

Crónica de Magda Fernandes
*Mulher, Mãe, Advogada. De bem com a vida

Lida a notícia segundo a qual no Brasil, há passerelles organizadas para que crianças a adoptar sejam exibidas a pretendentes – e entre ficar pasma e incrédula, detive-me na seguinte pretensa explicação:

Para ela, “é uma noite para os pretendentes – as pessoas que estão aptas a adotar – poderem conhecer as crianças, a população em geral ter mais informações sobre adoção e as crianças terem um dia diferente, em que irão se produzir, o cabelo, a roupa e a maquilhagem, para o desfile“.

E pergunto-me: será para os apanhados?

Se bem entendo, as crianças exibem a forma física como se de modelos se tratassem, com roupas da moda, cabelos arranjados e maquilhagem. Os pretensos adoptantes fazem ou não match, mas é preciso que a criança esteja bonita, arranjada e aos pulinhos numa passerelle.

Há crianças que, fruto da forma como a roupa e o cabelo bem lhes assenta, são escolhidas. Que sorte, hein!

Haverá outras, se calhar mais gordinhas, mais baixinhas, com mais problemas capilares, que não têm a mesma sorte. Tivessem escolhido outro out-fit e quem sabe….

Não sei bem o que dizer que não seja que isto só pode ser uma piada, de intenso mau gosto, e rogo para que seja anunciado que foi uma brincadeira e não volta a repetir-se.

Porque este tipo de eventos não contribui em nada para promover qualquer alerta ao público para o drama da quantidade de crianças em instituições de acolhimento e para o drama da adopção em geral, lá porque as crianças até bonitas e arranjadas e se sabem pavonear numa passerelle.

Não que eu tenha nada – que não tenho – contra estas crianças poderem viver um dia como se de modelos se tratassem. Tantas vezes o fiz quando miúda e que prazer me deu achar que era a Naomi Campbell.

Mas agora aditem-lhe a informação, dada a uma criança, uns minutos antes de ser exibida em público, de que é bom que desfile corra bem para agradar aos futuros pais adotivos. Pode ser que, de tão bonita que estava, saia dali com uma família.

Mas se por acaso não for escolhida, o que devem dizer-lhe? Que deve desenvolver mais dotes de modelo? Deve mudar o penteado ou a maquilhagem? Que fica para a próxima com outro estilista?

Se querem chamar a atenção para a adopção, ponham os pais a acompanhar as crianças no seu local natural, com todas as angústias por que já passaram, despenteadas, sem make up, com o sorriso natural ou as lágrimas que lhes assolem os olhos.

Se se apaixonarem por esta criança, então sim, estão prontos a adoptar. O que não convém é tratá-la como gado prestes a ser adquirido.

 

Foto: Divulgação D.R. reprodução