Alqueva: aqui há estrelas no céu

Proponho partirmos à descoberta do primeiro Starlight Tourism Destination do mundo. O Alqueva, claro! Quem não gostaria de observar a Via Láctea acima do Parque de Noudar? Ou presenciar, por detrás dos ramos de uma oliveira, a constelação do Escorpião? Esta imagem está na capa do livro Dark Sky Alqueva − O Destino das Estrelas e foi captada pelo astrofotógrafo Miguel Claro, em terras da Reserva Dark Sky. A foto faz as delícias dos amantes das estrelas, mas não satisfaz a curiosidade. Pelo contrário, é um convite a partir em direção a este lugar mágico onde, faça chuva ou faça sol, o céu está sempre estrelado.

Céu pejado de estrelas

Estima-se que cinco mil milhões de pessoas nunca tenham visto a Via Látea a olho nu. A evolução tecnológica, o crescimento global das grandes cidades e a poluição tiraram às novas gerações a oportunidade de ver um céu verdadeiramente estrelado. Os céus da cidade contrastam, porém, com o céu transparente e escuro “onde se pode observar a olho nu milhares de estrelas, a beleza da Via Láctea, bem como objetos de céu profundo com os telescópios, tais como nebulosas, galáxias, enxames de estrelas e planetas”. Apolónia Rodrigues, fundadora da Dark Sky®, refere-se ao “céu do Alqueva”, que tem 286 noites de céu limpo por ano, média comprovada por um estudo realizado ao longo de 10 anos, sublinha.

A Reserva Dark Sky® Alqueva nasceu em 2008, no âmbito do programa de turismo sustentável da região, conta com a parceria da Associação Portuguesa de Astrónomos Amadores e abrange seis câmaras municipais: Portel, Reguengos de Monsaraz, Alandroal, Mourão, Moura e Barrancos, todas elas sensibilizadas para a poluição luminosa e para a importância da sua redução em limites compatíveis com as necessidades da Reserva.

Mais de 95% da iluminação pública provoca poluição luminosa 

Após várias ações de formação que têm transmitido a empresários da restauração, hotelaria e animação turística conhecimentos de astronomia (utilização de telescópios, por exemplo), aquela zona alentejana recebeu pela Unesco e pela Organização Mundial do Turismo a primeira Certificação Starlight Tourism Destination do mundo, em 2011.

O turismo astronómico não é recente, e alguns países, como o Reino Unido e a Alemanha, já apresentam propostas turísticas. São programas cheios de interesse, mas com “falta de céu”, uma vez que os níveis de poluição luminosa da Reserva são diferentes dos níveis dos grandes centros urbanos europeus.

“Se faz parte da grande maioria que nunca teve a oportunidade de admirar o centro da Via Láctea, a Ursa Maior e a Ursa Menor, venha até ao Alqueva, estenda-se no chão e perca-se na imensidão do céu estrelado.” O convite é do Dark Sky®, cujos programas incluem passeios a cavalo, orientação, wild night watching, night birdwatching, ceias nas margens de Alqueva, provas de vinhos, um passeio de canoa ou simplesmente um revigorante passeio pedestre. Para o futuro, os esforços estão ainda depositados na abertura do Parque dos Céus e do Parque dos Lugares Místicos.

Marque na agenda! 

23 de junho: canoagem noturna sob a luz especial de uma superlua. Para mais informações, contacte [email protected]

 

 

Comentários

comentários